Acompanhamento e Consultoria Nutricional

A abordagem é não prescritiva e considera nutrientes, paladar, gatilhos emocionais e a personalidade do cliente. A integração destes fatores permite analisar a obesidade por uma pluralidade de ângulos, de forma a entende-la como um conjunto de fatores interligados. O atendimento favorece a mudança de hábitos e o emagrecimento, ao estimular indiretamente o déficit calórico. Você desenvolve autoconhecimento, aprende a se alimentar, reconhece a composição dos alimentos e ganha autonomia e liberdade para fazer as próprias escolhas, pois é uma abordagem flexível, intuitiva e educativa. Trata-se de um acompanhamento de 5 a 10 sessões, que pode ser ampliado a depender das necessidades do cliente. Presencial ou online.

Atendimento de Nutrição Clínica

Consulta particular presencial de nutrição clínica, inclui o aconselhamento nutricional, avaliação clínica e antropométrica, diagnóstico nutricional e pode contar com a prescrição dietética.

Análise Comportamental

Trata-se de uma avaliação que combina princípios da psicologia analítica e da bioenergética para entender a personalidade e o comportamento. Presencial ou online

Minha Abordagem

Nos últimos 5 anos, eu tive a oportunidade de ter um contato mais próximo com pacientes obesos submetidos a cirurgia bariátrica. Conheci pessoas incríveis que passaram por uma grande transformação e pude notar algumas diferenças entre elas. Percebi que algumas tinham plenas condições de atingir resultados sem cirurgia, mas não conseguiam mudar o estilo de vida e acreditavam que aquele procedimento era a única saída. Casos mais complicados obtiveram resultados satisfatórios com o procedimento cirúrgico, mas o mais interessante foi ver que nem todas conseguiram manter o peso perdido e voltaram a engordar com o tempo. Isso me fez refletir muito e eu pude notar que existia um padrão emocional por trás do comportamento dessas pacientes, que determinava o sucesso do tratamento, clínico ou cirúrgico. 

Com base no que eu vi e aprendi, entendi que uma pessoa com obesidade não precisa de uma folha de papel com um roteiro alimentar a ser seguido. Pelo menos não em um primeiro momento. É preciso trabalhar a relação com a comida, desenvolver a percepção de sinais de fome e saciedade e entender o papel que a obesidade ocupa na vida de cada pessoa.

Por isso, desenvolvi uma abordagem diferente de tratamento, que integra princípios da nutrição comportamental e psicologia analítica. Utilizo os conhecimentos que adquiri durante a prática clínica, científica, o convívio com meus pacientes e, principalmente, a história e a individualidade.

O trabalho é desenvolvido em etapas e pode ser conduzido sem dietas.

 

Minha Abordagem

Nos últimos 5 anos, eu tive a oportunidade de ter um contato mais próximo com pacientes obesos submetidos a cirurgia bariátrica. Conheci pessoas incríveis que passaram por uma grande transformação e pude notar algumas diferenças entre elas. Percebi que algumas tinham plenas condições de atingir resultados sem cirurgia, mas não conseguiam mudar o estilo de vida e acreditavam que aquele procedimento era a única saída. Casos mais complicados obtiveram resultados satisfatórios com o procedimento cirúrgico, mas o mais interessante foi ver que nem todas conseguiram manter o peso perdido e voltaram a engordar com o tempo. Isso me fez refletir muito e eu pude notar que existia um padrão emocional por trás do comportamento desses pacientes, que determinava o sucesso do tratamento, clínico ou cirúrgico. 

Com base no que eu vi e aprendi, entendi que uma pessoa com obesidade não precisa de uma folha de papel com um roteiro alimentar a ser seguido. Pelo menos não em um primeiro momento. É preciso trabalhar a relação com a comida, desenvolver a percepção de sinais de fome e saciedade e entender o papel que a obesidade ocupa na vida de cada pessoa.

Por isso, desenvolvi uma abordagem diferente de tratamento, que integra princípios da nutrição comportamental e psicologia analítica. Utilizo os conhecimentos que adquiri durante a prática clínica, científica, o convívio com meus pacientes e, principalmente, a história e a individualidade.

O trabalho é desenvolvido em etapas e pode ser conduzido sem dietas, a depender das necessidades e da indicação de cada caso.